Hospital Santa Cruz projeta fechamento de leitos

A administração do Hospital Santa Cruz elabora um projeto de reestruturação que deve acarretar no fechamento de 17 leitos ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
A informação consta da ata da reunião que ocorreu entre membros da administração do hospital e o Promotor Renato Maia de Faria, da Promotoria da Comarca de Canoinhas.
A reunião foi realizada porque o hospital está sendo investigado no âmbito de um Inquérito Civil que foi aberto para apurar a regularidade dos repasses de dinheiro público efetuados pelo município à entidade.
Na ata consta que o “hospital já teve mais de 100 leitos, número que foi reduzido para 94” e “que foi sugerida a reestruturação para 77 leitos”.
Na reunião o diretor administrativo informou que atualmente são 222 funcionários trabalhando no hospital e a ideia é diminuir para 197 funcionários.

 

 

DIMINUIÇÃO DOS INTERNAMENTOS
Conforme foi divulgado pela Rádio Clube, o número de internamentos no Santa Cruz diminuiu nos últimos anos, mas segundo números repassados pela Prefeitura de Canoinhas, em sete anos o valor dos repasses de dinheiro público quase triplicou, passando de R$ 5.554.713,04 em 2011 para R$ 14.252.231,82 em 2018.
A aumento de repasse que contrasta com o número de atendimentos chamou a atenção chamou a atenção do Promotor Renato Maia de Faria. “Isso é bastante preocupante porque a população está pagando mais por menos serviços”, disse.
Um dos fatores que explica a diminuição no número de prestação de serviços é  a opção que os municípios vizinhos tiveram de fazer por hospitais de outros municípios. Os gestores municipais afirmam que há dificuldade de diálogo e negociação com o administrador, Derby Fontana Neto.
O prefeito de Bela Vista do Toldo, Adelmo Alberti, em entrevista à Rádio Clube na última quarta-feira (06), afirmou que gostaria que os belavistenses fossem atendidos em Canoinhas, porém afirmou que isso, no momento, se torna inviável.
Segundo ele, no caso relacionado a maternidade, o Santa Cruz pediu repasse de R$ 20 mil por mês e  Bela Vista do Toldo tem em média 5 partos/mês, custando R$ 4 mil cada parto e ainda o hospital recebe um determinado valor do SUS em cada procedimento. Adelmo acrescenta que um parto particular custaria cerca de R$ 2,500.
O prefeito belavistense afirma que no Hospital de Mafra, Bela Vista tem um único convênio de R$ 14 mil mensais e com esse valor os munícipes tem atendimento de maternidade, cirurgias, clinica médica entre outros.
O chefe do Executivo esclareceu que os atendimentos realizados aos belavistenses na Unidade de Pronto Atendimento de Canoinhas não são serviços realizados pelo hospital, mas pela Prefeitura de Canoinhas, que administra a UPA. ” O hospital Santa Cruz não nos atende”, concluiu.

 

 

DÍVIDAS
Na entrevista, Adelmo mencionou que o diretor administrativo do Hospital Santa Cruz alega que a Prefeitura de Bela Vista do Toldo tem dívida com a instituição. Informação esta que foi contestada pelo prefeito.
“Foi nos enviada algumas faturas de alguns pacientes que eles atenderam de forma particular e simplesmente mandaram a conta para o município, inclusive sem ter um convênio não tem como a gente pagar porque o hospital é uma instituição privada e não há meios legais de pagar sem o devido convênio”, afirmou.