Canoinhense realiza doação de medula para ajudar a salvar paciente

Doar medula para um desconhecido e restaurar uma vida. Essa foi a sensação vivida pelo canoinhense Vilmar Domingos Pinto, 41 anos. Ele viajou até a cidade de Curitiba (PR), neste ano, para atender ao chamado do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).
Vilmar concedeu entrevista à Rádio Clube, nesta segunda-feira (19). Ele estava acompanhado do presidente da Associação dos Doadores de Sangue da Região de Canoinhas (Adosarec), Silmar Golanovski.
Segundo o presidente da Adosarec, a possibilidade de haver compatibilidade da medula óssea é de uma pessoa em 100 mil. Foi o caso do Vilmar que pôde ajudar um paciente que precisava da doação. O Instituto se limitou em dizer apenas que é um paciente adulto. De acordo o Ministério da Saúde, o cadastro de doadores de medula é universal, por isso esse ato pode ter beneficiado uma pessoa até mesmo de outro país.
Doador de sangue há um bom tempo, o canoinhense se cadastrou como doador de medula óssea há 15 anos, porém, a ligação inesperada aconteceu apenas em 2018, quando ele foi informado sobre a possível compatibilidade com um receptor.
Como se tornar um doador?
De acordo com o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) os passos são os seguintes:
– Procure o hemocentro do seu estado e agende uma consulta de esclarecimento ou palestra sobre doação de medula óssea.
– O voluntário à doação irá assinar um termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE), e preencher uma ficha com informações pessoais. Será retirada uma pequena quantidade de sangue (10ml) do candidato a doador. É necessário apresentar o documento de identidade.
– O seu sangue será analisado por exame de histocompatibilidade (HLA), um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que vão ser cruzadas com os dados de pacientes que necessitam de transplantes para determinar a compatibilidade.
– Os seus dados pessoais e o tipo de HLA serão incluídos no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME).
– Quando houver um paciente com possível compatibilidade, você será consultado para decidir quanto à doação. Por este motivo, é necessário manter os dados sempre atualizados.
– Para seguir com o processo de doação serão necessários outros exames para confirmar a compatibilidade e uma avaliação clínica de saúde.
– Somente após todas estas etapas concluídas o doador poderá ser considerado apto e realizar a doação.